Sem sombra de dúvidas, a internet transformou a escassez de informação em excesso, num curto espaço de tempo, e tão curto esse espaço que temos dificuldade de lidar com essa avalanche. Isso não é diferente no mundo dos negócios.

Quanto mais informação, dados, e indicadores o empresário tem, maior sua sede. A grande dificuldade é achar conexão e propósito para esses dados todos. Esse é o maior desafio, primeiro decidir O QUE medir, para depois MEDIR!

Mas você pode estar pensando que informação nunca é demais, melhor superinformado que desinformado… Cuidado, o excesso de informação gera perda de foco, ou pode tomar muito tempo para lhe permitir uma leitura assertiva da situação de seu negócio. Além do mais, o papel é de gestor, ou seja, gerenciar, e não de analista. O analista gera pareceres, o gestor toma decisões (ou pelo menos deveria).

E como tudo em gestão empresarial, não existe "receita de bolo", e para quase todas as situações ainda existe um "depende". Mas vou me arriscar aqui a lhe oferecer algumas sugestões, de indicadores de simples implementação, mas que poderão lhe ajudar no dia a dia. São básicos, dependendo da complexidade, porte ou particularidades do seu negócio, necessitarão de acompanhamento mais amplo/aprofundado.

Evolução de Vendas: traz o comportamento do total de vendas mensais, podendo também comparar períodos pares (jan/2016 x jan/2017).

Principais Clientes: existe um "número mágico" no mundo comercial que diz: 80% das suas vendas são realizadas para 20% dos seus clientes. Bom, em todo meu tempo de envolvimento com gestão de empresas, encontrei pouca variação. Esse monitoramento permitirá você calibrar suas estratégias comerciais.

Margem Bruta: Percentual de lucro tendo por base simplesmente Preço de Venda em comparação ao Custo da Mercadoria. Aqui ainda não entram as despesas.

Ponto de Equilíbrio: Especialmente em negócios que estão iniciando, mas não menos importante aos demais, esse indicador balizará boa parte da construção de metas comerciais e orçamento. Um detalhe: sugiro a utilização do Ponto de Equilíbrio Financeiro, pois além de contemplar despesas, também uma previsão de dividendos e especialmente a parcela de dívidas e financiamentos.

Margem Líquida: Percentual de Lucro Líquido do negócio. Aqui sim estão computados todos os custos e despesas, revelando o que de fato sobra ao dono/investidor do negócio.

Aliados a esses indicadores, a definição do orçamento anual (o qual definirá especialmente o encaixe entre metas comerciais e metas de gasto), e o acompanhamento do fluxo de caixa (necessidade de capital especialmente), fecham um simples mas útil modelo de controle para vários contextos de negócios. Quer aprofundar ou esclarecer algum ponto deste texto, mande e-mail para contato@essent.com.br, adoramos conversar sobre gestão!